quarta-feira, 6 de julho de 2011

Fanfinction- "A nova Era" Capítulo 18- Verdadeira emoções

Estava na escola, a primeira aula decorria bastante devagar para o meu gosto. Queria que aquela semana terminasse rapidamente. Alguns dias atrás tinha voltado para a minha casa. Tinha já bastantes aulas em atraso e faltas injustificadas. Os meus colegas e professores já começavam a fazer perguntas a mais para o meu gosto tenho estado doente ou passei alguns dias fora, eram as desculpas que eu dava. Claro que não podia dizer que ia para outra Era, outro mundo, ninguém acreditaria. O Inuyasha proibiu-me de voltar para cá mas tinha de vir de uma maneira ou de outra, nesta altura ele devia andar à minha procura, já que fugi dele durante a noite sem deixar recado. “Acho que fiz mal em vir sem lhe dizer. Ele deve estar preocupado.”
A aula finalmente tinha terminado. Fiquei na sala de aula com a cabeça em cima dos braços. “Tenho bastante matéria em atraso. Não vou conseguir passar este ano. Se chumbar a minha mãe mata-me.”
(Kotomi)- Tsuki? Vais ficar aqui durante o intervalo.
-Kotomi! Tu podes ajudar-me. Preciso de explicações! Tenho matéria em atraso. Ajudas?
(Kotomi)- Tsuki, tu sabes que eu sou muito tua amiga mas eu não sou nenhum génio no que toca a estudar, tu sabes que eu até preciso de explicadores fora das aulas!
-Pois. A melhor aluna aqui da sala e a Izumi e não tenho paciência para ela.
(Kotomi)- Então e o teu amigo?
-Amigo? Referes-te ao Inuyasha?
(Kotomi)- Sim. Ele é mau aluno.
-Não sei. “Claro que é! Ele nem humano é!” nunca lhe perguntei. Nós propriamente não falamos das aulas né?
(Kotomi)- Tens razão.
- O que faço. Preciso de ajuda.
(Kotomi)- Desculpa não poder ajudar-te.
-Na boa.
O dia tinha finalmente terminado. Tinha de ir apanhar o metro a pé já que tinha perdido o autocarro devido ao sermão da directora. Menina Seifuru, você tem noção da sua situação? Está em riscos de chumbar. E só vamos no primeiro período. Você precisa de aulas suplementares para repor às que faltou, tem de passar as férias de natal que ai vem para completar as aulas que lhe faltam. “O Inuyasha vai dar cabo de mim. Com os seus sermões. Temos pena!”
Apanhei o metro e depois fui para casa, parando no supermercado para comprar comida para o meu jantar. Uma piza! Há imenso tempo que não comia. Rodei as chaves e abri a porta.
-Já cheguei.
Gritei para dentro da casa vazia mesmo sabendo que não lá estava ninguém para ouvir. Pousei as compras em cima da mesa da cozinha e fui a casa de banho lavar as mãos. Pus a roupa a lavar já que quase se tinha esgotado no meu roupeiro. Fui para o quarto.
(Inuyasha)- Finalmente. Estou farto de esperar.
Mandei um salto de susto e apoiei-me na secretária com uma mão enquanto a outra permanecia em cima do meu peito sentindo o coração a pulsar fortemente que parecia estar a bater na palma da minha mão. Ele estava coberto de lama nas calças e vestia uma t-shirt do meu pai. Presumi que ele tinha caído em algum lugar. Mas estava demasiado assustada para lhe perguntar.
-Nunca mais faças isso. Assustaste-me
(Inuyasha)- Desculpa. Mas sabes que me deixaste super preocupado. Desapareceste sem dizer nada.
-Eu sabia que se te pedisse não me deixavas voltar para cá.
(Inuyasha)- claro!
-Já agora…como é que entraste já que só eu é que tenho a chave da entrada.
(Inuyasha)- Pela janela.
- Claro tinha de ser. Estamos no sétimo andar mas tu consegues fazer o impossível. Alguém te viu.
(Inuyasha)- Sei lá eu.  
-Boa. Um estranho com orelhas de cachorro a subir pelas paredes a entrar pela minha janela! Que óptimo se alguém vê!
Sentei-me na cama encostada à parede. O Inuyasha encontrava-se sentado na outra ponta da cama.
-Olha tenho de vir cá mais vezes. Tenho várias aulas em atraso.
(Inuyasha)- O quê?
-Desculpa mas tem de ser. Não te esqueças que eu tenho uma vida aqui também!
(Inuyasha)- É sempre a mesma coisa.
-Desculpa lá se só te sirvo para encontrar os fragmentos da jóia.
 (Inuyasha)- Não -Ele aproximou-se de mim ficando na minha frente. Tentei chegar-me para trás mas a parede encostada às minhas costas impedia-me. Os seus dedos percorreram o meu pescoço parando no meu queixo enquanto a outra mão dele estava apoiada na cama. Senti o calor a alastrar-se pelo meu rosto. Os seus lábios beijaram os meus e voltaram  tentaram tocar mas foram impedidos pelo som da porta da entrada a abrir. Pus as minhas mãos nos seus ombros afastando.
-Fica aqui!
Corri para a porta.
-Mãe! Já chegaste da viagem?
(Mãe)- O que te parece?
-Pois.
(Mãe)- Ligaram-me da escola a dizer que andavas a faltar muito ultimamente. O que se passa?
Contei-lhe a verdade e até chamei o Inuyasha. Ela primeiro achou que era uma brincadeira mas depois de lhe mostrar o poço e o portal ela acreditou. Fez algumas perguntas como é normal e depois parou para reflectir. E no fim. Aceitou. Disse que podia ir lá à outra Era mas tinha de ter as aulas em dia e não podia faltar aos testes. “Ok não sei o que se passa com a minha vida. A minha mãe aceita a verdade, a minha vida na escola é uma porcaria e para além disso o Inuyasha beija-me e toca-me mas nunca me disse que gosta de mim ou que temos algum tipo de relacionamento estranho né?"


Capitulo 18- "Os seus dedos percorreram o meu pescoço parando no meu queixo enquanto a outra mão dele estava apoiada na cama. Senti o calor a alastrar-se pelo meu rosto. Os seus lábios beijaram os meus e voltaram  tentaram tocar mas foram impedidos pelo som da porta da entrada a abrir."

2 comentários:

  1. OHHHHH TAO KAWAIII

    A Tsuki e o InuYasha fazem um BELO PAR

    CONTINUA ASSIM^^

    ResponderEliminar
  2. AAAAAAhhhh que kawai!!!
    Eles sao muito lindos juntos.
    Adoro ler a sua fanfiction, ela e muito boa!
    Continua assim.
    Beijos

    ResponderEliminar

Número total de visualizações de página