quarta-feira, 22 de junho de 2011

Fanfinction- "A nova Era" Capítulo 12 - A Floresta dos Pesadelos

Aqui está o Mega-Capitulo de hoje uma forma de celebrar o "acabamento" das aulas. Espero que gostem. Deixem o vosso comentário. Beijo.


Entrámos numa floresta. A sua aparência era assustadora, o caminho enchia-se de névoa. Os nossos olhos não alcançavam o fim do caminho feito de folhas e de pedras. O céu estava escuro e cheio de nuvens negras prestes a explodir em chuva a qualquer momento. Os arrepios subiam-me pelo corpo. Todos nós estávamos atentos. Qualquer movimento falso podia causar danos.
-Inuyasha não gosto nada do aspecto desta floresta. Mete medo.
(Miroku)- Tenho de concordar com a Tsuki. Mantenham-se juntos.
(Inuyasha)- Tsuki não te afastes de mim. Não te quero perder… de vista.
-Sim.
Cruzei os braços e continuei a andar perto do Inuyasha. Não queria perder-me ou ser atacada por algum youkai.
(Sango)- Tenham cuidado. Sinto a energia maligna de um youkai. E é enorme.
A minha mente estava demasiado preocupada para pensar em alguma coisa. Tinha medo de ser atacada por trás.
-Inuyasha, não sentes nada a chegar? – Não obtive resposta. - Inuyasha?
Olhei em redor mas ninguém se encontrava a meu lado. Tinham todos sumido. A névoa propagou-se por todo o lado, subindo a uma altura surpreendente. Os meus olhos não conseguiam alcançar nenhuma figura conhecida. Nem conseguia ver as árvores que rodeavam. Andava às cegas.
-Inuyasha? Sango? Miroku? Shippo?
A minha voz ecoava pela floresta sem resposta de volta. “Tinha de me perder. E agora? Onde eles terão ido?”
O medo espalhava-se pelo meu corpo energia maligna. Estas pequenas palavras causavam uma enorme confusão na minha cabeça. Algo se aproximava e eu não conseguia ver ou sentir. Senti uns braços a rodear a minha cintura. Virei-me para trás com medo de olhar para a cara de quem me abraçava. O Inuyasha encontrava-se atrás de mim abraçando-me.
-Que alívio. Não me assustes assim. Pensava que era um youkai.
-Mas quem te garante que não é?
Libertei me dos braços do suposto Inuyasha. A sua voz era diferente. Era mais rouca e espalhava as palavras uma a uma, não era a voz agressiva do Inuyasha habitual, este era uma fraude.
-Onde está o Inuyasha? O verdadeiro!?
Estás a viver os teus piores pesadelos em vida real. A voz assustadora apareceu de dentro da minha cabeça. Comecei a correr mas o chão escapava-me dos pés. Queria fugir mas não conseguia. “Ok Tsuki para saíres daqui tens que enfrentar os teus medos.” Queria que estas palavras me acalmassem mas ainda me ganhavam mais nervos. A correr não saía do sitio. Tinha de esperar que eles me aparecem a frente. Como o Inuyasha falso me apareceu do nada. “Tenho medo do que me pode aparecer. Os meus pesadelos? Quais serão? Não sei? Devia saber!”
De repente o rosto da minha mãe assumiu forma no meio do nevoeiro. Tinha o rosto manchado de sangue. No chão um homem estava estendido. Aproximei-me e era o meu pai que estava no chão. “A minha mãe matou o meu pai? Impossível! Ela não era capaz!”
-Eras capaz mãe? Diz-me! Não fujas! Enfrenta-me! Diz-me na cara.
As minhas palavras não a alcançavam. “Pois um pesadelo.” Tinha de o enfrentar não podia fugir. Mas como? Aproximei-me da figura que aparentava ser a minha mãe e encostei os meus lábios ao seu ouvido
-Tu és uma mulher forte. Não ias descer ao ponto de matar o pai para te livrares dos problemas não é? - Ela acenou com a cabeça. –Tu no fundo ama-lo não eras capaz. O teu amor ia falar mais alto. Tu também me amas mãe não o ias fazer para me fazeres sofrer. Eu quero aos dois comigo, para sempre. Mesmo com os problemas que temos vamos continuar juntos.
As minhas palavras comoveram a minha mãe. Ela desapareceu junto com o meu pai e com a aquele sangue todo. O suor escorria pelo meu rosto, aquela figura ensanguentada meteu-me medo e pena sabendo que se tratava da minha mãe.
-Seu youkai repugnante! DEIXA-ME SAIR DAQUI! - Gritei eu para o céu com a esperança que ele ouvisse. – USAR OS PESADELOS DAS PESSOAS PARA FAZE-LAS DESISTIR DE VIVER E COBARDICE!
Continuei a caminhar pela floresta à procura da saída ou pelo menos encontrar o Inuyasha e os outros. “Que raiva. Já estou a andar à uma data de tempo!” tropecei em alguma coisa fazendo-me cair para a frente.
-Ai que dor.- Levei a mão à cabeça. Levantei-me e olhei para o chão. Era o Inuyasha que estava no chão estendido.
-Inuyasha! Acorda!
Ele não se mexia. Não exercia nenhum movimento. Toquei-lhe com as costas da mão no seu rosto. Estava gelado como uma pedra. O sangue corria por debaixo do seu corpo.
-I..nuy…a…SHA!!! - Debrucei-me para ele abrandando-o com muita força.”Um pesadelo tem de ser! Só pode. Mas eu não consigo deixa-lo aqui sozinho. Assim mesmo sendo só uma figura daquele youkai! Acorda Tsuki ACORDA!”
As lágrimas corriam pelo meu rosto. “Que raiva…porque isto tudo? Para me fazer cair na realidade que um mundo perfeito não existe?”
- POIS PARA TUA INFORMAÇÃO EU SEI QUE O MUNDO PERFEITO NÃO EXISTE! A MINHA VIDA NÃO É PERFEITA! NINGUEM É PERFEITO IDIOTAAA!
O grito alucinante fez-me cair na realidade. Banhada de lágrimas vi-me abraçada a um monte de folhas secas e terra húmida. Coberta de lama levantei-me “Uma ilusão?” limpei o rosto com as costas da mão. “Quero sair daqui. Quero ir ter com o Inuyasha e com os outros. Será que eles estão a viver o mesmo pesadelo que eu? O que mais me pode aparecer à frente? O que poderá ser pior que a morte do meu pai e a do Inuyasha? A minha própria morte?”
Ouvi vozes vindas no final do caminho. Era a voz do Inuyasha “Inuyasha? Estás aqui!”
Corri até ao final do caminho. Visionei o vulto do Inuyasha. Corri para ele chamando-o a plenos pulmões.
(Inuyasha)-Kyou eu já me livrei dela. Da tua cópia. Agora nada nos pode atrapalhar.
No chão um corpo encontrava-se entendido banhado de sangue. Era “eu”.
-Inuyasha não pudeste fazer-me isso. Tu disseste que gostavas de mim. Tu beijaste-me! Prometeste. Eu…amo-te de verdade. Não sentes isso por mim?
Ele Parecia não me ouvir. “pois eu para ele estou morta. Os mortos não voltam à vida!”
(Kyou)- mataste-a. Mas era isso que querias?
(Inuyasha)- …sim. Quero que só haja um Kyou no mundo e não uma imitação barata.
-Imitação barata? Então é isso que pensas de mim INUYASHA!
A floresta ficou negra. Os sons desapareceram e as figuras também, estava totalmente sozinha.
“Não quero estar aqui. Quero desaparecer!” Os meus olhos começaram a pesar e o meu corpo não se podia mexer. A minha consciência começou a desaparecer aos poucos, parecia que a minha alma estava a ser sugada. Tentei abrir os olhos por breves momentos e visionei um youkai que aparentava uma cobra gigante em cima de mim. A sua boca estava aberta e uma coisa branca que saía de mim entrava pela sua boca. Desmaiei.
Acordei nos braços musculados de alguém. Abri os olhos e o Inuyasha segurava em mim carregando-me para fora daquela floresta assustadora.
-Inuyasha…
(Inuyasha)-Tsuki estás melhor?
-Sim.
Passei com a minha mão pelo seu rosto. As lágrimas encheram os meus olhos e desceram apressadas pelo meu rosto.
-Inuyasha, pensava que tinhas elouquecido.
(Inuyasha)- Não. Eu estou contigo agora e nunca te vou deixar sozinha outra vez.
-Desculpa.
(Inuyasha)- Não, desculpa eu.
Ele pousou-me no chão.
(Inuyasha)- Também viveste os teus pesadelos em vida real?
-Sim. E porquê tu também?
(Inuyasha)- Sim. Todos nós.
-E o youkai?
(Inuyasha)- Eu matei-o. Recuperei a consciência e ouvi tu a gritares pelo meu nome enquanto o youkai absorvia a tua alma.
-Que bom.
(Sango)- De nós todos tu pareces a que está mais fraca. Precisas de descansar.
-Sim.
“Não passaram de pesadelos. Podem dizer o que quiserem mas eu não sou uma cópia da Kyou nem algo que se pareça. Sou a Tsuki Seifuru e não a Kyou qualquer coisa. Não sou parecida com ela em nada a não ser na aparência. Eu tenho os meus próprios problemas e sentimentos. É isso que me torna diferente dela, eu nunca pedia ao Inuyasha para afastar-se de alguém, especialmente da pessoa que ama. Seja ela eu ou a Kyou. Ele ainda não a esqueceu, embora eu não saiba o que se passou com eles, ele ainda sente algo por ela. Eu não o vou obrigar a gostar de mim.”     




 Capítulo 12 - Tropecei em alguma coisa fazendo-me cair para a frente.
-Ai que dor.- Levei a mão à cabeça. Levantei-me e olhei para o chão. Era o Inuyasha que estava no chão estendido.

2 comentários:

  1. Estava demais!!Adorei o capítulo e o desenho!!Estavam lindos,como todos os outros^.^

    ResponderEliminar
  2. Amei!! O capitulo esta muito bom e o desenho tambem! Estou ansiosa para ler o proximo.

    ResponderEliminar

Número total de visualizações de página